segunda-feira, 5 de junho de 2017

Cai a máscara do último Tetéo

O filósofo Sófocles disse: "O poder revela o homem", e o empresário e pensador Henry Ford afirmou em uma das sua célebres frases: "O dinheiro não modifica o homem, apenas o desmascara". Começo esse texto com essas duas frases para que o leitor possa fazer uma comparação do candidato Túlio Lemos em 2016, para o prefeito Túlio Lemos em 2017. Enquanto era apenas candidato Túlio não tinha nas mãos dinheiro e muito menos poder e por isso em todos os vídeos ou discursos que fez sempre pregou a paz, a justiça, a transparência e a serenidade, Túlio em 2016 rechaçava qualquer tipo de ato violento, seja dos seus familiares ou dos seus correligionários, e ao assumir o cargo disse que não permitiria perseguições ou maus tratos dos servidores públicos para com o povo macauense.

Em 2017, Túlio prefeito, já com dinheiro e poder nas mãos, o comportamento do prefeito mudou totalmente, ao ponto de na última semana Túlio ir a rádio do seu pai falar que a "oposição de Macau era canalha e que ele tinha vontade de resolver esse assunto como homem" , que no entendimento de todos significa usar a força bruta para resolver o assunto, e como se não bastasse ainda colocou vários carros de som pelas ruas de Macau reproduzindo suas ofensas e ameaças para que toda a sociedade pudesse ouvir.
Você leitor conhecia esse Túlio Lemos? conhecia esse Túlio Lemos que insulta, ameaça e permite aos seus assessores insultar e ameaçar os macauenses? acredito que não. O povo que elegeu Túlio, elegeu o candidato de 2016 que como todos podem ver usava uma máscara que só retirou agora, é o que muitos chamam de lobo em pele de cordeiro. Esse Túlio de 2017, com poder e dinheiro na mão, é o prefeito já sem máscara, que pelas suas palavras e omissões com os seus assessores parece que deseja que Macau viva na época de 60 anos atrás, onde prevalecia a lei do mais forte, a lei do silêncio, a lei de quem andava se exibindo com uma arma na cintura com a camisa aberta para todos verem e terem medo na cidade, a lei onde assassinatos eram cometidos em mercados públicos em plena luz do dia sem que os algozes escondessem ao menos o rosto. Ou será que Túlio prefere voltar a um passado de 24 anos atrás onde se mandava bater, depois prender e em seguida para dar uma de santo do pau oco mandava soltar? Será que é essa a Macau que Túlio quer que volte a existir? pelas suas palavra e omissão diante das agressões praticadas pelos seus familiares e assessores contra o povo macauense parece que sim.
Túlio representa na família a última chance de permanecer no poder, depois que seu pai Afonso Lemos deixou a prefeitura o povo de Macau colocou a família Lemos na geladeira até 2017, Túlio representa a redenção ou o último suspiro na vida política da sua família em Macau, tirando a máscara desse jeito é certo que o povo de Macau não dará mais outra chance a família de Túlio, que já tinha a fama na cidade de perseguir e intimidar, as palavras ditas por Túlio na rádio do seu pai só reafirmam o que muitos do povo pensam, e Túlio que surgiu como o redentor, pode se tornar o coveiro que joga a última pá de areia.
As palavras ditas pelo prefeito na rádio, não condizem com o cargo que ele ocupa, muito menos com a pessoa que ele disse ser em 2016. As palavras ditas por Túlio, condizem com uma pessoa de mente atrasada, perseguidora, ditatorial, que iludiu o povo para que votassem nele, para que assim ele pudesse ter dinheiro e poder nas mãos e tirar a máscara e mostrar quem realmente é.
O povo de Macau quer o Túlio de 2016 na prefeitura, e não o Túlio que vai a rádio, insulta e ameaça a oposição, afinal Túlio sempre fez oposição enquanto era jornalista, e como eu já disse antes, Túlio sempre soube ser a pedra está na hora de aprender a ser a vidraça.

É isso aí!

Por Leandro de Souza  
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Não somos responsáveis pelos comentários individuais de cada um, portanto escreva com responsabilidade, não insulte os outros e não faça nada que vá de encontro as leis vigentes.